2 de mai de 2009

fluxo rápido

A vida se dá tão depressa
Ou ao menos me parece
Veloz , dispersa
Quando começo a ficar lenta
Ela vem e me apressa

Me lança!
No inferno e no céu,
No fundo d’água e em chamas
Minha curiosidade
Não me deixa parar na cama.

Ou assim me parece , agora
Logo mais pode transmutar
,tão leve me pareço perigosa

Sejamos lúcidos
Deixe a aura impecável
A essência inatingível
E posição inabalável

É raro
Essa sabedoria
À energia custa caro.

Um comentário:

  1. Poema lindo toca a alma.parabéns,muito interiorizados os seus poemas.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

prezo muito as opiniões de todos, me alegram e inspiram a continuar passando a minha mensagem!