30 de abr de 2009

à vontade

O fardo é proporcional à vontade
O feiticeiro que sabe que é
O que sabe
Faz seu mundo à vontade

Dança na confusão, pra ele nada importa
Tudo veio e voltará
Pra mesma fonte de vida
O que é a vida senão
Nuances controláveis pelas fibras de sua vontade?

O feiticeiro orienta e encaminha
Seu mundo com a vontade
Jamais se rende á confusão
Ele sabe como mantê-los afastados,
Desnorteados, posteriormente aliados.
O Deus que há em mim
Também origina meus obstáculos
Trajeto tempestuoso
Mas bem acompanhado

ver exige cuidado

Mentes limitadas
Potenciais desperdiçados
Que visão! Tantas vezes
Me traz confusão

Ver é algo delicado
Mais que olhar, ver exige cuidado
Num instante você pode ver
Seu mundo transformado
Seu ponto de vista transfigurado
Situação de vida
Revelada! Que dádiva!

Tantos nem imaginam
Sobre essa sensação
Vivem pequenos fracos tolos
Espírito em retensão

Latente –
Acabam ficando doentes
Não deixe o mal na sua mente....
*pra isso não a deixe vazia....

purifica

Mente voa, anseia
Por sentir a sensação
Correndo na veia

Divaga, se atrasa, antecipa
Tenta prever, erra e medita
Purifica
Pede à Luz perdão e companhia.

Roga aos santos para não deixar
Sua alma ao relento
De pensamento –

Viver numa casa de vidro
Suscetível ao ataque
De todo tipo de vampiro
Livrai-nos de todos os males
Com energia elevai nossos espíritos
Pra que respiremos novos ares.

De alegria!
De alma satisfeita ; longe
Daquela sociedade fria.

a fonte entre a bruma

É simples e original
Está naquele entardecer com a lua
Está nos olhos da sua menina
É uma fonte entre a bruma

Está para todos
E para ninguém
Em mil lugares e
Até mais além

Tornado acessível para todos
No devido momento
Passa evaporável pela sua vida
Inconfundível seu acalento!

Por isso abramos nosso Lótus!
Guarde sensações no coração
E não em fotos...
E vamos absorver antes que evapore
Luz , sabedoria , instinto
Que tudo o que é bom ao nosso lado se demore.